«

»

O horror, O HORROR!!!

Segurem-se nas cadeiras. Essa notícia que eu eu vi agora de manhã, diretamente da New York Comic-Con fez meu coração parar por um minuto de puro choque, estupefação e estarrecimento:

 

O Extreme Studio, pertencente ao meu eterno nemêsis, o rei dos milhares de dentes, imperador da Terra dos Sem-Pés, Rob Liefeld, está voltando para a editora Image. E mais, publicações infames como Youngblood vão voltar e RESUMIR suas numerações. Me sinto sujo só de pensar nisso.

O Extreme Studio foi um dos estúdios fundadores da Image Comics, capitaneado pelo Lixofeld desde o começo, lançando atrocidades mensais, geralmente com Blood ou Death no título. O estilo "distinto"das publicações desprezava completamente qualquer pretensão de roteiro ou caracterização para valorizar peitos, violência, sangue, e arte apressada. Sob sua batuta, o EXTREEEEMISMO dominou o mundo e contaminou inclusive outras editoras.

Depois de uma ruptura com a editora que ajudou a fundar, Liefeld ficou anos fora da Image até meados deste ano, quando aparentemente eles fizeram as pazes, se beijaram na boca e voltaram a passear de mãos dadas na frente de todo mundo. Esse retorno foi anunciado na Comic-Con de San Diego, em junho.

Neste momento, Rob Liefeld está empenhado em manchar a imagem (tudum-psss) do Robert Kirkman em The Infinite e em destruir Hawl & Dove no New 52 da DC Comics.

 

Pessoas, os anos noventa oficialmente estão de volta.

 

(Via ComicBookResources)

Sobre o autor

Matheus Vale

Matheus Vale, o “HQ-Man”, é quadrinhologista, arqueocomicólogo e teórico da Nona Arte, e dedica um tempo absurdo com essas bobagens, porque ama todos esses universos.

3 comentários

  1. Leo Gonçalves

    Esse Bloodpool era desconhecido pra mim. Deveria ter continudo assim rs… "o rei dos milhares de dentes" foi foda, não entendo como supervalorizam quem nem sabe desenhar.

    1. Matheus Vale

      Aparentemente, o lance do Liefeld é que ele é rápido, tanto que consegue desenhar dirigindo sem bater. E também porque ele vendia horrores nos 90 (em parte culpa nossa também). Nada disso justifica a arte dele, claro.

      1. Leo Gonçalves

         

        Bicho, no início eu entendia o alvoroço por causa da "arte" dele, era diferente, mas todos pensavam que ia evoluir. Aí o cara parou no tempo e continua a mesma coisa, inclusive na fama. Os videos dele desenhando no volante são demais, explica muita coisa.

         

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *