«

»

Os Muitos Beijos de Superman e Mulher-Maravilha

Semana passada, mais exatamente na quarta-feira, dia 22 de agosto, a editora americana DC Comics achou por bem divulgar uma novidade para a revista JLA que poderia até mesmo ser chamada de fofoca: Superman e Mulher-Maravilha vão se envolver romanticamente e talvez “de forma bíblica” a partir do número 12 da revista. Vários sites especializados em quadrinhos, principalmente internacionais, trataram de alardear a notícia.

“Mas o que tem de tanta novidade nisso?” eu fiquei me perguntando, e inclusive, imbuído de um sutil espírito de porco, fiquei zoando no Twitter com a manchete, acompanhada sempre de uma imagem da Mulher-Maravilha beijando um herói/vilão diferente.

Ora, não é possível que a DC realmente ainda acredite que esse tipo de tática seja mesmo uma novidade. Superman e Mulher-Maravilha trocam beijos, carícias e algo mais há décadas  em suas publicações. Já fizeram isso em “histórias imaginárias” (e não são todas?) e na cronologia oficial. Já tiveram filhos e filhas em vários “Elseworlds”. Muitos acreditam que estes dois semideuses foram feitos exatamente um para o outro!

Geoff Johns, o responsável pelo título, disse que “Isso não é uma jogada de uma edição só, esse é o novo Status Quo” e que o relacionamento será impactante tanto para heróis quanto para vilões no Novo Universo DC.

Mas será mesmo?

Vamos ver quantas vezes o Escoteiro Azulão e a Guerreira Amazona já ficaram juntos, e se realmente eles podem permanecer juntos.

Os Muitos Beijos de Superman e Mulher-Maravilha

Esse conceito de unir esses dois personagens é antigo e perene, tanto entre os fãs quanto entre os criadores, e se baseia exclusivamente em uma ideia bastante lógica a principio: Ele é o super-herói mais poderoso do planeta, e ela é a maior super-heroína viva. Então, por quê não podemos unir os dois e torna-los um casal, com todos os seus direitos públicos e privados?

Antes do surgimento da concorrência com a Marvel Comics, que trouxe maior importância para a manutenção de uma continuidade com maior coerência (e nós, leitores, sabemos o quanto isso é difícil…) a DC Comics reservava o romance entre eles para “histórias imaginárias” e até mesmo para sonhos e ilusões (Wonder Woman #300). Na aclamada minissérie “O Reino do Amanhã”  os dois naturalmente gravitaram à um relacionamento pois Lois Lane já estava falecida, Clark já estava amargurado e cada vez mais isolado da sua humanidade e a situação do roteiro facilitava muito a união deles. Parece ser o mesmo caso no universo de “Batman: Cavaleiro das Trevas” de Frank Miller.

Tratando esses encontros desta forma, os autores estavam liberados para criar sem ferir a imagem de ambos os personagens: Kal-El seria sempre o garoto inocente da fazenda, disposto a fazer a coisa certa e ser fiel a sua amada Lois Lane, um relacionamento próprio para aproximá-lo mais ainda do seu lado humano, e Diana seria sempre a mulher forte, durona, independente, não precisando nunca de homem algum para protegê-la (mesmo com o Steve Trevor a tiracolo).

No entanto, por várias vezes no “Universo Oficial” eles se aproximaram de um relacionamento, mas nunca de forma definitiva ou garantida. A mais famosa provavelmente aconteceu em Action Comics #600 (Super Powers 16 – Abril) e novamente, na época foi prometido que esse beijo selaria o novo Status Quo para os dois heróis. Mas depois desta edição, nada mais aconteceu. Na também clássica “Para o Homem que Tinha Tudo”, Diana beija Clark ao entregar-lhe seu presente de aniversário, um beijo de amigos. Alan Moore até tem a sacada de escrever um meta-comentário aqui.

Essas demonstrações casuais de super-afeto se tornaram cada vez mais raras, principalmente depois que Clark se casou com Lois Lane e se mostrou um marido extremamente fiel, mesmo em ocasiões *ahem*  extremamente tentadoras, como na vez na qual os dois acabaram isolados por mil anos, lutando numa guerra interdimensional em Action Comics #761 (Superman Premium #3 – Abril). Quadrinhos: Tem que amar

Porém, com a chegada dos Novos 52, Superman é novamente um cara solteiro e descompromissado, e até o presente momento, embora já tenha ficado definido que ele e Lois são bons amigos e colegas de trabalho, absolutamente nenhuma vez foi mencionado nenhum tipo de relacionamento amoroso entre eles um ano após o reboot. Numa página já famosa, fica comprovado o envolvimento de Lois Lane com outro homem  (Superman #1). Superfriendzone? Ademais, os personagens neste novo universo são mais jovens, se conhecem a menos tempo e até certos limites, os criadores tem liberdade para criar novos caminhos para as histórias. Quer você seja um defensor de “Lois + Clark 4ever” ou não, é necessário considerar as possibilidades.

No caso disso realmente acontecer e durar, faço minhas as palavras de Jimmy Palmiotti: “Tenho pena do dono do motel que receber esses dois para um fim-de-semana romântico e odiaria ser a empregada que vai limpar a bagunça depois.”

Sobre o autor

Matheus Vale

Matheus Vale, o “HQ-Man”, é quadrinhologista, arqueocomicólogo e teórico da Nona Arte, e dedica um tempo absurdo com essas bobagens, porque ama todos esses universos.

9 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. candeeiro-man

    vem um heroi com todo poder para combater o mal.

  2. Bob Nerd

    Não é nada novo, realmente. Mas bem que eu queria que algo novo saísse disso tudo! E que não fosse temporário por favor.

  3. Aquiles

    Tudo ficou bem mais fácil com a criação dos novos 52 em 2011. Eles (A DC Comics) podem fazer o que quiserem com os personagens. Se der certo (unir Super e Maravilha), ótimo. Caso contrário, é só fazer um novo rebbot, mandando Flash de novo para a aurora dos tempos e mudando tudo de novo…Tome efeito borboleta!

  4. vivi

    Oi HQMan ( adorei)
    na sua infinita sabedoria dá para explicar o porquê de esses roteiristas e desenhistas serem tão limitados? Ao meu ver é falta de criatividade e falta de coragem de romper antigas regras e paradigmas. Explique-me por favor o porquê de meu herói favorito: O Batman só ter de mulher a Mulher-Gato como definitiva opção? Poxa, eles nem tentam dar uma virada na história do cara, uma refrescada escolhendo uma mulher menos passada e mais jovem. Eu sou do contra em tudo. Adorei ver a Mulher Maravilha com o Batman, para mim, saíam muito mais faíscas que com o bonzinho Kal-el. Batman é o Bad boy, toda garota ama um bom Bad boy. Era louca para ver o morcegão se envolver com a Barbara Gordon/Batgirl e mostrar como um homem de verdade é e não um garoto como o Dick. Sou meio revoltada com o romance Luluzinha e Bolinha de Dick e Oráculo( tem nada a ver ele é bem mais jovem que ela, mais garotão) e ela merecia um homem de verdade! Eu não entendo esse lance. Tem explicação Matheus? Como vc analisa isso tudo?
    Valeu,
    Vivi

    1. Matheus Vale

      Oi Vivi

      Olha, a pergunta é tão complexa que eu não tenho como te dar uma resposta definitiva. Num mercado o qual atende um público tão variado como o de quadrinhos, e onde trabalham todo tipo de criador, do roteirista mais genial ao artista mais medíocre (mas que tem fãs assim mesmo), é difícil até mesmo classificar o que é “mais” ou “menos” criativo.
      Eu posso garantir para você que, pelo menos nas Duas Grandes do mainstream, Marvel e DC, se dependesse exclusivamente dos roteiristas, eles aloprariam o máximo possível com os personagens, mas eles precisam lidar com duas forças muito poderosas os impedindo: Os editores, cujo trabalho (ingrato) é impedir que os criadores façam alguma coisa do qual vão se arrepender, e os próprios leitores, que chiam por qualquer motivo e são praticamente impossíveis de se agradar por unanimidade. No livro “Marvel Comics: A História Secreta”, um roteirista (o qual não quis se identificar) disse uma frase no seu depoimento que para mim, define essa situação: “O que os fãs querem? Eles querem mudanças. O que acontece quando lhes damos mudanças? Não é o que eles queriam, e todo mundo quer que volte a ser como era antes”.
      Quanto a vida amorosa da Bat-Família, eu não sei nem o que comentar. Vai ver a Mulher-Gato é a única humana normal que namorou o Homem Morcego e conseguiu sobreviver à experiência e a Mulher-Maravilha prefere caras mais positivos e menos sorumbáticos, em vez de Bad Boys (ainda bem que existem mulheres assim).
      Quanto ao Dick/Barbara/Bruce, eu não vejo química NENHUMA entre ela e o Bruce. Eles se tratam mais como pai e filha. Então é melhor ela ficar com o Dick mesmo.

  5. Anna

    Mulher Maravilha e Superman como um casal pra mim beira ao absurdo. É como um incesto, os dois parecem dois irmãos, não da pra vê-los como um casal, não mesmo! Eu queria saber porque insistem tanto em colocar os dois seres mais poderosos do mundo juntos, isso é muito óbvio, muito clichê. Sem falar que em todos esses anos todo mundo sabe da enorme importância da Lois na vida do Superman e colocar ele com a Diana realmente não faz sentido. Uma coisa que gosto que existe entre eles é a amizade genuína, o que é algo bem bonito de se ver, gosto muito da amizade verdadeira dos dois sem nada romântico envolvido. Não sei porque insistem em romantizar tudo! Porque não pode existir uma relação platônica entre ambos? Pois se não for assim fica parecendo que não tem como existir amizade entre homem e mulher.

    Eu particularmente penso que o único homem que combina com a Diana é o Bruce e vice-versa, ela é a única mulher que o mostra as coisas de uma forma diferente e ele aceita. No entanto, também não precisa ter romance entre a Trindade Clark x Diana ou até o top casal DianaxBruce), eles apenas como amigos que é bom (apesar de eu gostar muito da Diana com Bruce pois eles formam um casal bem badass) não há necessidade de ficar colocando ela com um ou outro toda hora, ~caham Superman~. Com o Batman eu apoio mas com o Superman, não dá, não combinam.

    Sem falar da saudade que tenho da época pré-Novos 52. Aí vem a DC com esse reboot e estraga e nega tudo. Espero que a DC acabe logo com essa novela entre Clark e Diana, Novos 52 e que o DC Rebirth venha pra consertar toda essa bagunça feita pelos Novos 52! Enfim, resumindo, pra evitar chateação entre os fãs o melhor mesmo é deixar os 3 como grandes amigos sem interesses amorosos entre si com a Diana, aí tudo fica bem!

  6. Max Hime

    Pois é, o Rebirth veio … e bagunçou ainda muito mais o que já estava bom dos Novos 52, que só precisava melhorar o roteiro para ficar mais interessante. Inventaram 2 superman´s 2 lois e um filho de origem duvidosa. Sou a favor do super casal e não os vejo como irmãos, pois o pai dela é Zeus e o dele é Jor El. Diferente da Lóis, a Diana têm plena condição de conceber filhos a Clark, sem que ele tenha que desfazer de seus poderes. (Se não leu ainda, recomendo que leia “Reino do Amanhã”). Clark e Diana têm origens diferentes, mas compartilham de um mesmo ideal. Já são mais de 75 anos juntos e, normalmente pessoas “envelhecem”, sabia? A Marvel é muito mais coerente, veja só: A agente Carter, parceira do Steve Trevor, morreu. O doutor David Bruce Banner (Hulk), é constantemente perseguido pelo pai de sua amada (Betty Ross), pois ele quer controlar o Hulk. O mesmo então deveria acontecer com Superman, pois o pai da Lois é o General Lane, das forças armadas. Não têm sentido nenhum, um alienígena “americano”, invadindo os céus de várias nações sob pretexto de ajudar pessoas!? Sempre existe alguma desconfiança!…Percebe? Esse contexto dá asas à imaginação. Pense no coitado do Clark, que sempre é hostilizado pela Lois (pois mais super que ele seja, ele também é homem!!!). Essa é minha opinião. Infelizmente, a DC não é tão ousada quanto a Marvel.

    1. owthayre

      falou tudo , o casal é super , os outros tem nada a ver

  7. owthayre

    Superman e mulher maravilha tudo a ver , lindo casal imortal , o Batman é mortal e fraco comparado a eles , ela teria que ficar cuidando dele, nada a ver Bruce e Diana , assim como nao tem nada a ver Lois e Clark a toda hora ele tem que largar tudo para ficar salvando a pele dela, salve Superman e mulher maravilha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *